Skip navigation

Madrugada de 31 de maio de 2010. Israel ataca navios de ajuda humanitária à Faixa de Gaza e mata uma dezena de pessoas a bordo. Em águas internacionais.

Faz parte da rotina israelense ignorar as leis, matar civis. Desde que foi fincado no coração da Palestina, em 1948, o Estado de Israel viola resoluções da ONU. Mas agora, o mundo ocidental, hipócrita, se manifesta: as vítimas eram de maioria turca, e não os descartáveis libaneses ou outro povo árabe qualquer. Contudo, a mídia titubeia nas críticas. Como censurar um genocídio baseado nos desígnios do deus que rege esse mesmo mundo ocidental?

Está na Bíblia. Por volta de 1.800 A.C., Javé avisa a Abraão, primeiro grande líder hebreu, quem seria o dono de Canaã, atual Palestina: “Porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre (Gênesis 13:15)”.

Abraão casa-se, tem um filho chamado Isaque, que tem um filho chamado Jacó. Conforme as sagradas escrituras, Jacó bateu num anjo, e Deus o rebatizou Israel. Ele teve 12 filhos, que dão origem às tribos formadoras do povo judeu.

Do outro lado, o irmão gêmeo de Israel, Esaú. Este, porém, tem direito a nada. Diz o Senhor a Rebeca, mulher de Abraão, ainda durante a gestação: “Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das tuas entranhas, e um povo será mais forte do que o outro povo, e o mais velho servirá ao mais moço (Gênesis 25:23)”. Explica-se: Esaú foi o primeiro a sair do ventre da mãe. É o patriarca dos povos árabes.

Palavras do Senhor: “E a casa de Jacó será um fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú restolho; aqueles se acenderão contra estes, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú; porque o Senhor o disse (Obadias 1:18)”. O referido José é um dos filhos de Jacó.

Esta é a fé judia, precursora da civilização ocidental, uma vez que católicos e evangélicos seguem o mesmo deus – embora não tenham a menor ideia do significado de seu plano divino: os judeus são o povo escolhido.

Quem acredita, está salvo. Quem se opõe, morre. É esta a mensagem que Israel envia ao matar os ativistas que tentavam chegar a Gaza. Mas num mundo temente a Deus, como confrontá-los?

One Trackback/Pingback

  1. By No way, Obama « A Forca on 20 maio 2011 at 12:45 pm

    […] A supremacia judaica é bíblica. Jacó já mostrava a que vinha quando surrou um anjo (Gênesis 32:24). Está nos subconsciente dos crentes, dos fãs da pop music. “Jacob wrestled the angel and the angel was overcome” (U2, Bullet the blue sky). O livro-referência do ocidente é a base sobre a qual se erigiu o Estado judeu no Oriente Médio em 1948, quando a ONU sequestrou dois terços da Palestina para abrigar Israel. […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: