Skip navigation

Psicologia das Massas do Fascismo
(Wilhelm Reich, Alemanha, 1933)

Um aborto entre nós e nosso futuro próspero.

O Fascismo é, ideologicamente, a resistência de uma sociedade sexual e economicamente agonizante, às tendências do pensamento revolucionário para a liberdade tanto sexual como econômica“. (Pág. 56)

Pesquisando as razões da ascensão do nazi-fascismo, Reich descobriu: o povo não foi enganado; desejou, em seu íntimo, aquele regime, que reproduzia a moral repressora da família patriarcal, autoritária.

A repressão sexual na infância, imposta pela religião, anula os impulsos do domínio do consciente, fixando-se em nós, desde cedo, como defesa moral. Daí nossa condição de cordeiros, do nosso conservadorismo inconsciente (?).

A inibição moral da sexualidade natural da infância, cuja última etapa é o grande dano da sexualidade genital da criança, torna essa criança medrosa, tímida, submissa, obediente, boa e dócil, no sentido autoritário das palavras (…) porque qualquer impulso vital é associado ao medo, e como o sexo é um assunto proibido, há uma paralisação geral do pensamento e do espírito crítico“. (Pág. 28)

O objetivo da moralidade é a criação do indivíduo submisso que se adapta à ordem autoritária, apesar do sofrimento e da humilhação“. (Pág. 29)

E quando este processo impede a sexualidade de atingir a satisfação normal, o indivíduo recorre aos mais variados tipos de satisfações substitutas. Consumo desenfreado, supervalorização do trabalho, devoção militar. O soldado vê, insconscientemente, no comandante, a figura paterna que o reprimia, mas que não podia confrontar. Temor a Deus.

O empregado começa por desejar a assemelhar-se a seu superior, até que, gradualmente, a constante dependência material acaba transformando a sua pessoa, de acordo com a sua classe dominante (…) o indivíduo da classe média acaba criando uma clivagem entre a sua situação econômica e a sua ideologia“. (Pág. 45)

Repressão aos impulsos, repressão ao intelecto, imbecilização coletiva. Brasil, 2010.

O povo, na sua esmagadora maioria, tem natureza e atitude tão femininas que os pensamentos e ações são determinados muito mais pela emoção e sentimento do que pelo raciocínio (…) há sempre um positivo e um negativo, amor ou ódio, certo ou errado, verdade ou mentira, e nunca situações intermediárias ou parciais“. (Pág. 50)

Vendam tudo, destruam o país se lhes aprouver. Mas não confrontem meus dogmas.

As inibições e fraquezas sexuais, que se constituem nos pré-requisitos fundamentais para a existência da família autoritária e são o princípio essencial da formação estrutural da classe média, são mantidas por meio do temor religioso“. (Pág. 51)

Amém.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: